Algarismos Romanos (Conversor de Algarismos)

Os Algarismos Romanos surgiram na época da Roma Antiga. Como forma facilitadora na contagem os romanos criaram um sistema de numeração baseado na seleção de algumas letras maiúsculas do alfabeto, associando-as a uma quantidade, e que por sua vez tinham algumas regras para suprir as necessidades de contagem naquele período.

Na tabela abaixo é mostrado a associação dos Algarismos Romanos com os respectivos números.

tab-romanos
Figura 1 – Tabela associativa dos algarismos romanos com os números.

É interessante notar que os algarismos Romanos até hoje possuem uma forte presença, seja nos livros de história para referenciar séculos, nomes de reis e papas, relógios rústicos e até mesmo na divulgação de séries, filmes, livros e outros materiais de entretenimento, que de uma forma geral possuem uma sequência cronológica.

Curiosidade: Os Romanos não explicitavam a ideia do zero (vazio), no entanto, existem estudos que remontam o uso pelos babilônicos de uma unidade vazia, mas a sua utilização sistemática foi evidenciada pela primeira vez na civilização maia na América Central e do Sul, em registros de tempo em calendários. Contudo a descoberta do zero foi atribuída aos hindus que alteraram a base dos babilônios de 60 (sexagesimal) para 10 (decimal).

Como funciona os algarismos Romanos?

A utilização dos algarismos Romanos é bem simples, no entanto, precisamos entender algumas regras.

Regra 1


Algarismos iguais que são potência de 10 (I(1), X(10), C(100), (M)1.000) e limitados a 3 letras sucessivas, soma-se.

Exemplos:

II = 2
III = 3

XX = 20
XXX = 30
CC = 200
CCC = 300

MM = 2.000
MMM = 3.000
CCCC = errado (Mais de 3 letras sucessivas)
LL = errado (L, não é uma potência de 10)

Observação: Existem relógios que possuem o algarismos IIII como forma de representação do 4, mas não é usual, esta fora do padrão. 

Regra 2


Dois algarismos seguidos, o da esquerda menor e o da direita maior em 5x ou 10x, subtraí-se o algarismo da direita pelo da esquerda.

Exemplos:

IV = 5 – 1 = 4
IX = 10 – 1 = 9
XL = 50 – 10 = 40
XC = 100 – 10 = 90
CD = 500 – 100 = 400

CM = 1.000 – 100 = 900
VM = errado (M é maior que V em 200 vezes)
XD = errado
(D é maior que X em 50 vezes)

Regra 3


Algarismos seguidos, levando-se em consideração as regras 1 e 2, soma-se da esquerda para a direita (maior para o menor), agrupando-se para tal, milhares, centenas, dezenas e unidades.

Exemplos:

XV = X(10) + V(5) = 15
CMII = CM(900) + II(2) = 902
DLIII = D(500) + L(50) + III(3) = 553
MCMXIV = M(1.000) + CM(900) + X(10) + IV(4) = 1914
CCCXXXIX = CCC(300) + XXX(30) + IX(9) = 339

Benefícios do Conversor de Algarismos Romanos

Este conversor não possui somente o benefício de permitir agilidade e praticidade na conversão de algarismos Romanos, ele também incentiva o aprendizado do aluno de uma forma interativa e lúdica, além de servir como ferramenta de suporte e ensino a professores que buscam metodologias digitais.

Como funciona o Conversor?

O conversor funciona de ordem direta ou inversa, isto é, será possível inserir um número e verificar a sua forma em algarismos Romanos e o contrário também.

conversor
Figura 2 – Conversor de Algarismos Romanos

 

converor_romanos
Figura 3 – Exemplo do Conversor de Algarismos Romanos

Observação: O conversor de Algarismo Romanos possui um intervalo de conversão de 1 a 3.999, visto que, acima deste valor existe uma notação específica, que consistem em um traço horizontal acima do algarismos correspondente, por exemplo, para 4.000, temos uma traço horizontal acima do IV.

download

Bons estudos, espero que tenham gostado!

2 thoughts on “Algarismos Romanos (Conversor de Algarismos)

    • Carlos Roberto Roa says:

      Obrigado pela motivação e incentivo! E aguarde novidades, a ideia é levar o Excel a outro patamar na educação.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: